Réquiem para a saúde pública: Ato emociona no fechamento do PA 24

A tristeza deu o tom na noite desta terça-feira (16/10) durante o ato de despedida do local que representou alento para a população de Caxias do Sul por mais de 20 anos. O Pronto Atendimento 24h fechará suas portas para uma reforma que levará seis meses e também para mais de 72 mil atendimentos.

Cerca de 30 pessoas aguardavam atendimento por volta das 19h, quando o PA 24h, isolado pela guarda municipal e Secretaria Municipal dos Transportes (SMS), recebeu o agradecimento das lideranças sociais, comunidade e servidores.

O vice-presidente do Sindiserv, Rui Miguel, destacou a importância do serviço e questionou sobre o futuro dos serviços. Em frente ao PA 24h foi instalada uma placa avisando sobre os horários do transporte coletivo (40 min) até a UPA Zona Norte. “Imagino que o Sr. Prefeito e sua família que não utilizam o SUS, sentindo-se mal, à noite, não ficariam 40 minutos esperando pelo ônibus”, adverte.

Representando o Legislativo, a vereadora Denise Pessoa (PT), criticou a falta de estratégia da administração para manejo dos doentes. O presidente da União das Associações de Bairro, Valdir Walter lembrou os anos de luta para que o PA 24h fosse uma realidade. “Foi construído com o dinheiro do povo para ser entregue à uma empresa que lucrará às nossas custas”, salientou. David Orsi Carnisella, presidente do CPERS/Serra, saiu em defesa da comunidade que ficará desassistida a partir desta quarta-feira.

Reforçando o debate sobre a conduta política da administração, o delegado do Sindicato dos Jornalistas do RS Roberto Carlos Dias, observou que o prefeito segue uma cartilha política de terceirização. “Ele segue a mesma conduta dos deputados que congelaram os gastos públicos em saúde e educação para os próximos 20 anos. Precisamos estar atentos nestas eleições”, discursou.

O presidente do Sindicato dos Enfermeiros do RS, Estêvão Finger, elogiou a luta do Sindicato “O Sindiserv que batalhou muito por um serviço público de qualidade, deve ser motivo de orgulho para a população caxiense.”

Por fim, servidores e a população realizaram seus pronunciamentos de despedida salientando que os hospitais, Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a própria UPA Zona Noirte não conseguirão preencher a lacuna deixada pelo PA 24h.

“Um ato que se encerra, mas ainda não é hora de fechar as cortinas”, finalizou Rui Miguel.

 

Carta da presidente do Sindiserv, Silvana Piroli:

“Aos colegas servidores da saúde

Para mim, para vocês e para nossa cidade hoje é um dia triste. Fecha-se um serviço de saúde. Isto significa menos acesso, menos atendimento, mais filas, mais doentes, e possivelmente mortes. Não posso estar aí, por problemas de saúde. Mas, não estou ausente.

Lembro da primeira reunião que participei sobre saúde na década de 80, representando a Associação de Servidores Municipais. Tive a honra de ser representante dos servidores na década de 90 e, como vereadora, votar nos inúmeros projetos de lei que municipalizaram a saúde, criavam serviços, destinavam recursos ao Hospital Pompéia e também cargos para estruturar a saúde em Caxias.

Muitos foram os debates, discordamos, lutamos, vencemos e perdemos.

Não devemos achar que a população conhece o que está acontecendo. Muitos estão acreditando nas invenções do gestor. E é com o judiciário e tudo! Onde quer que estejamos, lá estaremos defendendo o SUS. Eles passarão!

Desse período de resistência quero reconhecer os que não esmoreceram. Não desanimaram e foram à luta. Os obstáculos no caminho nos farão mais fortes. Continuaremos lutando pela saúde pública, universal, gratuita e de qualidade. Um abraço da colega.

Silvana”

X