Sindiserv diz que “gestão compartilhada” é a formalização do “compadrio”

A diretoria do Sindiserv esteve presente na reunião do Conselho Municipal de Saúde (CMS) na Câmara Municipal de Vereadores, nesta quarta-feira (06/02). A convocação feita pelo Executivo para a reunião que teria início às 7h30, não obteve o quórum necessário. Apenas 05 conselheiros estavam presentes. Mesmo assim, o encontro se estendeu por cerca de duas horas com a apresentação da proposta de reabertura do Pronto Atendimento 24h em formato de UPA III.

Conforme o titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Júlio Freitas, a expectativa é de que os atendimentos iniciem antes do inverno, com gestão compartilhada. “Faremos isso com ou sem o consentimento do Conselho de Saúde”, afirmou.

O diretor e representante do Sindiserv no CMS, Valderês Fernando Leite, realizou diversos questionamentos após a explanação de Freitas. “Quais são os interesses dessas instituições ditas “sem fins lucrativos”, que favorecem o “compadrio”? A UPA Zona Norte atendeu de fato a lacuna deixada pelo PA 24h? Este assunto não pode ser deliberado com informações rasas e sem detalhamento”, insistiu.

Freitas defendeu o serviço público nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) afirmando que os servidores possuem vínculos com as comunidades e conhecem o histórico dos moradores. No entendimento do Sindiserv, a mesma prerrogativa de atendimento com qualidade feito por servidores nos bairros vale para o serviço de urgência e emergência, no caso da UPA Central 24h.

O vice-presidente do CMS, Alexandre Silva, salientou que o período de recesso encerra na próxima semana (12/02) quando haverá reunião entre os conselheiros, conforme calendário.

Relacionados:

X