Análise DIEESE: Funcionalismo luta por melhores condições de trabalho

Das 658 greves deflagradas entre julho de 2020 e junho de 2021, 137 (21% do total) foram organizadas pelo funcionalismo público. No último bimestre desse período, no entanto, o número de paralisações realizadas pelos servidores saltou de 25%, em maio, para 36% do total das greves, em junho.
Entre as principais demandas estão: melhores condições de segurança, presentes em 43% das mobilizações, e relacionadas essencialmente à
prevenção contra a covid-19. Diferente do início da pandemia, quando os trabalhadores reivindicavam remanejamento dos postos de trabalho, testagens, reforço da limpeza, agora a mobilização é pela vacina.
As demandas envolvem ainda salários e questões políticas, como a reforma administrativa, que mexe diretamente também com os rendimentos e o contrato de trabalho dos servidores (cada item representa 25% da pauta atual), todos temas interligados.

Confira AQUI o caderno de negociação de agosto de 2021, produzido pelo Dieese.

X