Sindiserv lança campanha de valorização do trabalho dos servidores durante pandemia

A partir da frase “A esperança está em ação”, o Sindiserv vai destacar o trabalho dos servidores públicos nas diferentes áreas consideradas essenciais para o funcionamento da cidade e para a defesa da vida das pessoas durante a paralisação devido ao coronavírus. A campanha também reforça a recomendação para que os cidadãos caxienses permaneçam em suas casas, cuidem da higiene e sejam solidários.

A partir da frase “A esperança está em ação”, o Sindiserv vai destacar o trabalho dos servidores públicos nas diferentes áreas consideradas essenciais para o funcionamento da cidade e para a defesa da vida das pessoas durante a paralisação devido ao coronavírus. A campanha também reforça a recomendação para que os cidadãos caxienses permaneçam em suas casas, cuidem da higiene e sejam solidários.

Os servidores que estão trabalhando e tiverem condições de fotografar  o trabalho podem enviar para o WhatsApp do Sindiserv – (54) 98109 -0145 – os registros ajudarão a compor a campanha e também permanecerão guardados na história do Sindiserv.

Da mesma forma, a população da cidade, as famílias, podem registrar o seu apoio aos servidores públicos e enviar depoimentos para o WhatsApp, para o e-mail mailto:sindiserv@sindiserv.com.br ou postando nas redes sociais marcando @sindiserv e usando a hashtag #EsperançaEmAção #EuApoio.

Conforme a presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, “Mais uma vez fica claro que a  democracia e o desenvolvimento de uma nação, de um estado, de um município dependem de um serviço público de qualidade e responsável perante a sociedade.”

Defesa do SUS

A integridade física e mental dos servidores que estão trabalhando é uma preocupação do Sindiserv. Neste sentido, a campanha levanta a necessidade de defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).

O SUS é uma conquista do povo brasileiro na Constituição de 1988, é referência mundial no acesso da população brasileira à saúde, na Atenção Primária, apesar de todos os problemas de financiamento ao longo de seus 30 anos de existência. O SUS é o único sistema de saúde pública do mundo que atende mais de 190 milhões de pessoas, sendo que 80% delas dependem exclusivamente dele para qualquer atendimento de saúde.

A importância do SUS na prevenção e promoção à saúde não tem tamanho, o Sistema abrange de uma simples aferição de pressão, até cirurgias de baixa, média e alta complexidade, os serviços urgência e emergência, a atenção hospitalar, as ações e serviços das vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental e assistência farmacêutica, o SUS se consagra como um dos maiores e mais complexos sistemas de saúde do mundo.

O SUS é integral, igualitário e universal, não faz qualquer distinção entre os usuários.

O avanço do coronavírus expõe a urgência de valorização do SUS e a busca contínua da melhoria dos serviços de saúde, com a consequente melhora das condições de trabalho dos servidores públicos da saúde e o combate às tentativas de terceirização, privatização e sucateamento.

Fim da PEC da Morte 

O Sindiserv se soma às organ8izações nacionais da área da saúde que pedem a revogação imediata da Emenda Constitucional (EC 95/2016), conhecida por “PEC da Morte”, implantada no governo Temer e em vigor com Bolsonaro/Guedes, que congelou por 20 anos investimentos públicos nas áreas sociais. O objetivo é obter mais recursos para enfrentar o avanço do coronavírus.

“Em meio a um cenário emergencial, alertado inclusive pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como ‘pandemia mundial’, é urgente que Supremo Tribunal Federal (STF) declare qualquer medida que retira dinheiro da Saúde como inconstitucional”, sugere documento divulgado pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS). O Conselho exige que o governo assegure os recursos necessários ao enfrentamento da pandemia e de outras doenças de grande incidência entre a população mais pobre. “É preciso força da sociedade para pressionar os três entes da federação, Executivo, Legislativo e Judiciário, diante do atual cenário. Não podemos esquecer também do enfrentamento constante à dengue, ao sarampo, à sífilis, ao HIV/Aids, à tuberculose e outras patologias no país”, diz o texto.

Leia também a carta aberta do Sindiserv

 

Relacionados:

X