Cerca de 500 profissionais da educação participam de assembleia sobre retorno às aulas

O Sindiserv reuniu na noite desta terça-feira (2/03) cerca de 500 profissionais da rede municipal de educação para debater o retorno às aulas diante do agravamento da pandemia provocada pelo novo coronavírus. O encontro foi realizado de forma online pela plataforma ‘Zoom’, iniciando com o relato da diretora de educação, Olga Neri de Campos Lima sobre as ações realizadas pela entidade desde o início de 2021 e, em seguida, leu o ofício encaminhado à Secretaria Municipal de Educação (Smed), (AQUI) pelo Sindiserv e o retorno da secretaria (AQUI).

No momento oportuno, os profissionais relataram a preocupação com o momento grave pelo qual passa o Estado e a cidade de Caxias do Sul, especialmente com o risco que correm em função da presencialidade na escola e o elevado fluxo de pessoas que circulam no ambiente, neste que é o pior momento da pandemia.

“O momento é um dos piores, em que a curva de contágio está em alta, o sistema de saúde não dá conta de atender a quantidade de pessoas contaminadas e as que precisam de UTIS em função da gravidade da doença. Como disse uma professora: “Parece que estão brincando com a vida.”, observa Olga.

A presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, destaca que a assembleia demonstrou a capacidade de mobilização da categoria, com maturidade e referendou a necessidade de manter a luta por testagens, vacinas e que sejam construídas alternativas envolvendo o governo, sindicato e a comunidade. “Esperamos que a Smed receba a entidade e os representantes da educação para que, no momento adequado, possamos retornar às nossas atividades presenciais. Porém, é prematuro pensar em aulas presenciais à partir de 15 de março”, salienta.

“As pessoas não se dão conta de que escolas movimentam muitas pessoas, movimentam a cidade. E é exatamente essa circulação que precisa ser evitada a fim de que a educação faça a sua parte, não contribuindo ainda mais para aumentar os casos de Covid-19″, denuncia uma associada.

Os professores manifestaram o desejo de retorno às aulas presenciais desde que as condições sanitárias permitam e que as suas vidas, as de seus alunos e da comunidade não seja colocada em risco. “O momento de retorno ou de presencialidade não é em bandeira preta. Há perdas sim, mas nada pode se comparar a perder a vida”, assinala Olga.

A direção do Sindiserv aguarda o posicionamento da SMED para a manutenção do diálogo e para que se façam os encaminhamentos e deliberações debatidas na assembleia. Uma comissão de representantes da categoria foi organizada durante a assembleia. Um ano letivo se recupera, mas a vida não.

Educação no grupo prioritário para vacina

Em de fevereiro, o Sindiserv encaminhou um ofício à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitando que fosse realizada a inclusão dos profissionais que atuam na área da educação nos grupos prioritários para receber a vacina contra a Covid-19 e a modificação da redação para inclusão de todos os trabalhadores em educação e não somente professores como previa o texto. Em resposta, a titular da pasta, Daniele Meneguzzi, assinalou que a demanda já estava em andamento por meio da diretoria de vigilância em saúde.

Inclusão dos profissionais de educação nos grupos prioritários

Inclusão de todos os profissionais em educação (ofício aqui)

X