Ações da semana: Confira as atividades do Sindiserv entre os dias 15 e 19 de junho

Bandeira vermelha na região e cuidados redobrados com a saúde dos servidores

A semana do dia 15 até 19 de junho, apesar da bandeira vermelha que restringiu diversas atividades na região, como prevenção à disseminação do Coronavírus (Covid-19), contabilizou diversas ações pelo Sindiserv. Lembre-se que os atendimentos continuam sendo realizados nos meios virtuais (WhatsApp, messenger, direct), pelo telefone 3228.1160 ou presencialmente, conforme agendamento prévio.

Segunda-feira (15/06)

– Reunião semanal da direção do Sindiserv para organização da agenda de atividades da semana e discussão das pautas dos setores.

– Silvana Piroli, presidente do Sindiserv

– Live com a presença da advogada Claudia Corrêa e mediação da presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, debatendo as questões legais do art. 8 da LC 173/2020, que estabelece auxílio emergencial aos Estados e Municípios, porém congela os salários e avanços dos servidores públicos até o final de 2021.

 

 

 

Terça-feira (16/06)

 

– Prosseguem as visitas aos postos de trabalho e a verificação de disponibilidade de EPI’S.

 

 

 

 

 

 

Quarta-feira (17/06)

– Reunião do Conselho de Saúde do Sindiserv acontece por meio da plataforma Zoom. O encontro mediado pela diretora de saúde, Karina Santos e pela presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, acolhe as demandas dos servidores, além de apresentar as lutas da entidade. Delegados se organizam para buscar apoio do Legislativo para a municipalização da UPA Zona Norte. Na reunião, também ficou estabelecido um grupo para organizar os possíveis servidores para atuar no serviço, sem que as UBSs sejam impactadas na atenção básica.

– Participação na reunião do COMPAHC , onde foram analisados 8 pareceres de pedidos de demolição de edificações da nossa cidade, as quais tem mais de 50 anos.
– Participação no Comitê de Crise. Nesta reunião foi levantada a possibilidade de que a nossa cidade passe para a bandeira vermelha em decorrência do número crescente de casos de Covid-19. Discutiu-se também a necessidade de manter as escolas abertas para que as trabalhadoras da limpeza e merenda possam trabalhar. A titular da Secretaria Municipal de Educação (SMED), Flávia Melice Vergani, alertou que sem o trabalho, a prefeitura não realizará os pagamento uma vez que já se esgotaram todas as possibilidades de afastamento delas, como férias e banco de horas. Questionada sem não haveria mais nenhuma possibilidade dessas trabalhadoras permanecerem afastadas, principalmente diante do aumento de casos do Coronavírus (Covid-19), respondeu negativamente. As escolas infantis particulares relatam as inúmeras dificuldades econômicas que estão enfrentando. Solicitaram à prefeitura auxílio financeiro para dar conta das despesas e também a autorização para realizar uma festa junina drive thru, para a qual foi dada a permissão.

– A SMED informou que as escolas deverão enviar FICAI quando houver o retorno presencial das aulas. A secretária alertou que dificilmente as aulas retornarão em formato presencial a partir 1 de julho.

Quinta-feira (18/06)

– Diretoria acompanha novas obras na sede campestre

– Finalizado o processo de pintura, limpeza e revitalização da sede social.

– Reunião do Conselho do Magistério, com a intermediação da diretora de educação, Rita Casiraghi Moschem, da diretora de saúde, Karina Santos e da presidente, Silvana Piroli. No encontro, foram debatidos os principais ataques aos servidores contidos no art. 8 da LC 173/2020, que prevê o congelamento de avanços e salários dos servidores até o final de 2021. “Em resumo, a Lei representa um atentado aos servidores públicos, na medida em que impõe aos mesmos o corte de direitos como aumento salarial, licenças-prêmio entre outras medidas. Além disso, representa uma ingerência descabida nas administrações municipais e estaduais, engessando as ações dos administradores. Essa lei representa mais uma tentativa de acabar com o serviço público. Sempre bom lembrar que esse período de pandemia está sendo bem difícil, mas seria muito mais trágico se não tivéssemos uma política pública como o SUS”, pondera, Rita.
A municipalização da UPA Zona Norte também entrou em debate. Foi definido o encaminhamento de e-mails para os vereadores, no sentido de solicitar seu voto contra ao convênio com a FUCS. Sobre mobilizações contra a lei 173, houve posições favoráveis a execução de atos/manifestações de rua. Não houve consenso sobre isso, uma vez que muitos(as) representantes se manifestaram contrário/as. Foi encaminhado também que a presidenta Silvana fizesse um vídeo explicativo sobre esse assunto para que seja encaminhado a todos(as) professores(as).
O presidente do Conselho Municipal de Educação, Lucas Caregnatto, falou sobre as diversas atividades desenvolvidas no Conselho durante o período em que está a frente do mesmo. Além destes assuntos foram tratados diversas questões relativas ao trabalho que vem se desenvolvendo nas escolas durante esse período e  respondidos questionamentos dos delegados(as).

– É lançada a campanha “Congelamento de salário, NÃO!”, com o objetivo de pressionar deputados e senadores para a exclusão do art. 8º, votando contra o veto de Bolsonaro. Para participar clique AQUI

– Os diretores, Diames Rogério de Souza e Eden Pires, reúnem-se com o titular da Secretaria Municipal de Segurança Pública

e Proteção Social, Hernest Larrat dos Santos para avaliar a segurança dos servidores da Guarda Municipal durante os treinamentos propostos pela secretaria.

Sexta-feira (19/06)

– Diretores continuam ações de visitas nos postos de trabalho e atendimento presencial, na sede da entidade.

– Sindiserv comemora 130 anos de Caxias com Exposição virtual da trajetória da entidade.

 

 

 

 

Antes

Depois

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Momento fofura. Nova família no lago da Sede Campestre

Relacionados:

X