Sindiserv denuncia ocupação da antiga sede na Câmara

A ocupação pelo Executivo da antiga sede dos servidores, construída 1983 com recursos dos associados, foi criticada pelo Sindiserv em plenária da Câmara Municipal de Vereadores na manhã desta quarta-feira, 13 de junho.

A presidente da entidade, Silvana Piroli, usou o espaço da tribuna livre para relembrar a importância histórica da construção além de denunciar a forma arbitrária utilizada para ocupação do prédio. “Desde o ano passado vinhamos construindo uma proposta de utilização compartilhada desse espaço, no sentido de valorizar a história dos servidores públicos e seu patrimônio. Construir o diálogo é saber mediar, ouvir e propor para o benefício da sociedade”, defendeu.

A representante salientou que a retirada de placas de inauguração, a troca de fechaduras e ocupação sem aviso prévio representam uma vergonha à memória do servidor público, principalmente quando comemora 30 anos de fundação do sindicato (anteriormente funcionava em formato de associação). “Existem móveis dos servidores lá dentro. São mesas, cadeiras, louças, churrasqueira elétrica.. adquiridos com o dinheiro dos associados”, advertiu.

A presidente finalizou o discurso defendendo a atuação do sindicato que não significa apoiar ou realizar oposição a um governo. “Nosso papel é defender o servidor que quer valorização e melhores condições de trabalho. Os governos passam, mas o funcionário público permanece no seu trabalho”, destacou.

As atividades agendadas pelos servidores na antiga sede estão sendo avaliadas pela entidade que está buscando formas de resolver o impasse. Uma associada que realizaria o “chá de bebê”, no local domingo (17/06), precisou comunicar cerca de 50 convidados sobre a mudança. Os cursos de violão, artesanato, dança e encontros do CTG dos servidores (Corrente Nativa), também eram realizados na parte inferior do prédio.

A direção do Sindiserv espera que a Administração reconheça a conduta inadequada o mais breve possível e reestabeleça o espaço que pertence aos servidores.

Apitaço pela valorização

Na parte da tarde, servidores realizaram um “apitaço” em frente à antiga sede pedindo a valorização do servidor e a desocupação do espaço. A entidade pretende realizar visitas diárias ao local.

X