Documentos comprovam que antiga sede sempre foi defendida pelo Sindiserv

A instalação de um espaço de preservação da memória do servidor na antiga sede sempre foi o objetivo do Sindiserv. Conforme relatório de respostas enviadas em abril de 2017, por meio de ofício ao gabinete do prefeito e Procuradoria Geral do Município (PGM), a entidade reforça a intenção de utilizar a parte superior da construção para atividades compartilhadas em benefício do servidor, assim como a área inferior do prédio é utilizada para atividades de integração e cultura.

Até dia 08 de junho de 2018, quando foi indevidamente ocupada, a sede mantinha cursos como violão, dança, artesanato e aos finais de semana era utilizada pelos servidores sem custo (ofício 049/2017). Em abril de 2018, o Sindiserv foi notificado pelo município para realizar o pagamento de contas de energia elétrica da antiga sede que supostamente estaria em atraso, contudo, o débito foi quitado ainda em janeiro de 2016. O documento comprova que a manutenção do espaço sempre foi realizada pelos servidores. (ofício 068/2018)

Sobre o ofício extrajudicial, enviado em maio de 2018, solicitando a retirada dos móveis e entrega das chaves no prazo de “72 horas”, o Sindiserv comunicou que quaisquer deliberações sobre o imóvel deveriam ser debatidas entre os associados, conforme rege o estatuto dos servidores. O documento reforça que nas reuniões entre o Sindicato e o Executivo ficou acordado que a entidade ocuparia a parte inferior do imóvel e a parte superior seria cedida ao Município para atividades relacionadas aos servidores, como manter um acervo com a história do Sindicato e seu patrimônio. (Resp. à notificação extrajudicial)

De acordo com a presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, em nenhum momento a entidade cogitou abrir mão da antiga sede. “A intenção era o uso compartilhado da parte superior para atividades em benefício dos servidores, desde que fosse realizada a manutenção do espaço. Porém, nos deparamos com placas arrancadas e fechaduras trocadas”, frisa.

A placa de bronze, retirada do local pela administração em 08 de junho, continha os seguintes dizeres: “Esta obra concretiza o sonho dos servidores”, e finaliza com o agradecimento a Osvaldo Padilha de Lima e a todos os servidores que colaboraram para a construção da obra. “A placa é autoexplicativa, pois comprova que o prédio foi construído com recursos dos servidores”, reforça a diretora de comunicação, Claudia Detânico Calloni.

 

X