Carinho e atenção no transporte de vidas

Ivete Maria Lazzarotto de Moraes, 54 anos, é a única mulher a desempenhar a função de motorista de ambulância no serviço público de Caxias do Sul. À primeira vista parece frágil e pequena, mas logo depois de algumas frases, percebe-se a força dessa servidora que transporta com muito carinho os pacientes entre o Pronto Atendimento 24h e os hospitais que atendem ao Sistema Único de Saúde (SUS).

A rotina diária inicia com o check list da ambulância e depois com os transportes, com uma média de 18 a 20 deslocamentos ao dia. “Neste trabalho me encontrei totalmente, principalmente pela atuação em equipe e por poder fazer um acolhimento humanizado ao paciente debilitado. Muitas vezes um ‘bom dia’, um desejo de melhoras fazem muita diferença”, salienta.

A vida profissional de Ivete sempre foi direcionada para a área do trânsito como instrutora de autoescola. Depois que tornou-se servidora, há oito anos, passou a ter um novo olhar sobre o setor público. “Tinha aquela visão que a maioria das pessoas tem, de que as coisas são lentas e difíceis. Quando cheguei, me deparei com uma realidade totalmente diferente. Aqui as pessoas trabalham muito e é muito gratificante poder fazer isso pela cidade”, conta.

Mãe de dois filhos e vó de três netas, Ivete é motivo de orgulho entre os familiares. “Eles sabem que estou aqui para dar o meu melhor e fazer de tudo para que a vida que conduzo chegue bem ao hospital”, explica.

X