Sindiserv busca a reposição da inflação junto ao Executivo

Na manhã desta segunda-feira (28/06), o Sindiserv representado pela presidente, Silvana Piroli, o vice, Rui Miguel da Silva, o secretário-geral, Valderes Fernando Leite e integrantes da Comissão da Campanha Salarial (Paulo Fernando dos Santos Reguly, Carla Gonzaga, Rita Elenice Paz de Faria e Melissa Zorzi Tieppo) esteve reunido com o prefeito, Adiló Didomênico, a vice-prefeita, Paula Ioris, os secretários de Governo, Grégora Fortuna dos Passos, de Parcerias Estratégicas e Gestão de Recursos, Maurício Batista da Silva, de Recursos Humanos e Logística, Daniela Reis, e o chefe de gabinete, Cristiano Becker da Silva para tratar de assuntos que envolvem a reposição inflacionária para os servidores municipais, além de outras demandas.

Durante o encontro, o Sindiserv reafirmou a necessidade do pagamento do repasse da inflação do período, com o objetivo de manter o poder de compra dos trabalhadores municipais. “Se o Tribunal de Contas considera que a Lei 173/2020 um impeditivo, gostaríamos que fosse enviado um projeto de Lei para a Câmara de Vereadores para que o percentual apurado pelos índices que compõem a trimestralidade seja pago em janeiro de 2022 e também para que a lei da Trimestralidade se torne permanente”, destaca Silvana.

Comprometimento com a folha está abaixo do limite

Conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o comprometimento com a folha de pagamento dos servidores está 41,99%, quase 10% abaixo do limite prudencial. “Todas as categorias têm reajuste, não há motivos para não repassar. Não se trata de aumento e sim de valorização”, reafirma, Silvana.

Grupo de trabalho
Sobre a contratação de um estudo para a estruturação administrativa e previdenciária anunciada pelo Executivo, a presidente enxerga a ação com estranheza. “Um grupo de trabalho que está alinhado e fazendo este debate. Se existem problemas orçamentários, porque não usar a capacidade técnica dos servidores para fazer este trabalho, deste modo não seria necessária a contratação de uma assessoria externa. Não sabemos quem é esta empresa contratada, mas esperamos que o Sindicato seja chamado para o debate”, salienta.

X