Executivo quer exterminar com o IPAM/Saúde

O governo Daniel Guerra na tentativa de acabar com o IPAM/Saúde encaminhou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei Complementar nº 10/2018, que altera os artigos 13,35, 37 e 38 da Lei Complementar nº 298/2007.

– A alteração DESOBRIGA o repasse da contribuição patronal referente os servidores que se desassociaram ao IPAM/Saúde.

– Nós servidores e servidoras NÃO podemos concordar com uma Lei que ocasionará um grande impacto financeito ao IPAM/Saúde. Conforme dados apresentados pelos órgãos municipais, o IPAM/Saúde deixará de receber valor aproximado de R$ 500 mil mensais.

– eventuais acidentes e doenças de trabalho, continuarão a ser pagos pelo IPAM/Saúde.

– O próprio Conselho Fiscal do IPAM – Saúde, constituido por servidores indicados pelo governo municipal e pelo sindicato, em várias ocasiões, na gestão 2017-2020, nos últimos dois anos, tem se manifestado desfavorável a tais alterações.

– O PLC também não cita como se dará o pagamento devido pela patronal, na ordem de 16,5 milhões (sem considerar multas e juros), atualmente.

-O SINDISERV apoia a realização de uma campanha visando à manutenção dos servidores no plano e ao retorno daqueles que se desfiliaram, reforçando o caráter do IPAM como um plano DIFERENCIADO E SOLIDÁRIO!

Não podemos perder direitos!

Relacionados:

X