Sindiserv se reúne com Promotora de Justiça para tratar sobre vagas do EJA

O Sindiserv reuniu-se nessa sexta-feira (23/03), às 10h com a Promotora de Justiça Regional de Educação, Simone Martins,  a Secretaria Municipal de Educação,  a 4ª Cre e  a Comissão do EJA no Ministério Público, para tratar sobre as consequências da redução do número de escolas de ensino noturno. No total dez escolas foram fechadas restando apenas seis.

Os professores da Comissão do EJA relataram que há uma grande dificuldade dos alunos que não conseguem efetuar sua matrícula diretamente na escola e precisam dirigir-se à Central de Vagas e por isso acabam desistindo de estudar. A SMED garante que o número de desistente é muito pontual e que direcionar todas as matrículas à central de vagas facilitará o controle e o acompanhamento desses alunos.

Outra questão abordada foi quanto aos alunos menores de 18 anos que trabalham informalmente e necessitam estudar no período noturno. A orientação é que esses alunos sejam avaliados caso a caso pela mantenedora e que então sejam encaminhados para um trabalho formal como o jovem aprendiz.

Como encaminhamentos finais ficou acordado que a escola fará uma busca ativa do cadastro desses alunos que não retornam à escola e direcionará à SMED, e também poderá reavaliar as matrículas dos maiores de 18 anos podendo fazer a matrícula na escola, desde que encaminhe todas as informações à SMED. Uma nova reunião foi agendada para o dia 15 de abril para reavaliar essas questões.

A Diretora de Comunicação do Sindiserv, Claudia Detanico avalia que a reunião foi importante para esclarecer alguns pontos, mas acredita haver uma falta de diálogo entre as mantenedoras do  Municipio e Estado. ” Somente através da articulação entre essas duas entidades é que realmente a central de vagas funcionará efetivamente. Estamos preocupados e atentos à municipalização da educação”, finaliza.

X