Sindiserv participa de seminário estadual sobre pesadelo da Reforma Administrativa

Foi o maior seminário presencial do movimento sindical na pandemia, realizado na manhã desta sexta-feira (13), no auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

A direção do Sindiserv esteve presente nesta sexta-feira, 13 de agosto, no Seminário sobre a Reforma Administrativa, realizado no auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa. Com uso de máscaras, respeito ao distanciamento e acesso limitado mediante senhas, mais de 120 dirigentes da CUT, centrais, federações e sindicatos gaúchos, que representam servidores municipais, estaduais e federais, alertaram sobre o pesadelo da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32/2020, a chamada reforma administrativa. Não acaba com privilégios, mas representa o fim dos serviços públicos e escancara as portas para o apadrinhamento, a corrupção e a privatização.

Com apoio do parlamento gaúcho e transmissão nas redes sociais, o seminário estadual “Os impactos da PEC 32 nos serviços públicos municipais, estaduais e federal” foi coordenado pelo deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), que integra a Comissão Especial da Câmara que discute a PEC 32. Houve também a participação do deputado federal Elvino Bohn Gass (PT-RS) e vários deputados estaduais do PT e PSol.

Até o final de agosto, o presidente da Câmara dos Deputados pretende votar a proposta, o que vai exigir uma luta incansável das entidades sindicais e contra o tempo para pressionar os parlamentares e impedir que seja aprovada.

A presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv), Silvana Piroli, lembrou que nesta pandemia se viu como é importante ter um serviço público de qualidade nas unidades básicas de saúde até a produção de vacinas, através de instituições públicas como a Fiocruz e o Butantan.(A fala completa pode ser acessada AQUI)

“Os servidores públicos não deixaram de trabalhar nenhum dia e socorreram o conjunto da população, apesar da negligência do governo federal, da inoperância do Ministério da Saúde e das vistas grossas que muitos estados fizeram, como o nosso, assim como muitos prefeitos fizeram de conta que nada estava acontecendo”, disse Silvana.

Desmonte do estado democrático

O presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, salientou que a intenção da reforma é desmontar um estado democrático que depende dos serviços públicos construídos por carreiras públicas. “Estão aproveitando as bobagens cotidianas que o Bolsonaro diz para fazer o desmonte do estado. Eles querem passar os serviços públicos para o setor privado, assim como as empresas estatais”, disse.

“Precisamos falar mais com a população”, destacou Amarildo, dizendo que “o  gibi do pesadelo da reforma administrativa que aqui produzimos sobre os impactos da PEC 32 está sendo muito bem aceito” e já foi reproduzido em São Paulo e Pernambuco. “É uma boa oportunidade para dialogar com as pessoas e fazer a disputa sobre a concepção de estado e os serviços públicos”.

Para Amarildo, “a luta é já, agora. Fora Bolsonaro e todos aqueles que defendem esses programas neoliberais de destruição do Brasil e venda dos serviços públicos e do nosso patrimônio.

Assista aqui a matéria produzida pela TVT

X