Terceirização é ponto de debate em reunião da Comissão de Saúde

O Sindiserv, por meio de sua presidente, Silvana Piroli e da diretora de saúde, Karina Santos, participou da reunião da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores na tarde desta terça-feira (30/07). Duas questões foram debatidas, a primeira em relação à uma proposta de lei que impõe diferenças de pagamentos do difícil acesso aos servidores que atuam em áreas distantes. “Sem o incentivo para fazer um trajeto distante, tememos que muitos trabalhadores procurem outros postos de trabalho mais próximo,  representando menos saúde e educação nos distritos”, exemplifica.

Outro ponto de preocupação é a terceirização dos serviços, a falta de controle em relação às atividades funcionais. “Eu pergunto, se a Secretaria da Saúde  não precisa contratar servidores, gerir e adquirir insumos, qual é a função da pasta?”, questiona. Além disso, a presidente destaca que a UPA Zona Norte, que atua em modelo de terceirização omite diversos números e indicadores de custos e resultado. Sem a transparência que resulta em dúvidas em relação ao serviço. “Horas extras, que sabemos, se fazem necessárias na área da saúde, são mais em conta no serviço público que na iniciativa privada, só para ter um exemplo”, assinala Silvana.

Em relação ao edital para gestão da UPA Centro, que não passou pela aprovação do Conselho Municipal de Saúde, existe uma série de questões não especificadas, principalmente em relação ao trabalho. “Não está previsto, por exemplo, um plano de saúde para os trabalhadores. Eles atuarão sem cobertura?”, questiona.

Os mesmos pontos também entrarão em pauta nos dias 13 (ato em na praça Dante Alighieri, às 17h)  e 22 de agosto em assembleia geral, às 18h30, na Câmara de Vereadores.

X