Sindiserv defende categoria em reunião com titular da SMSPPS

Aberturas de sindicâncias como atos políticos de intimidação, critérios para ingresso no Grupamento de Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) e cursos de qualificação e reciclagem exigidos pela Polícia Federal entraram na pauta de discussões entre o Sindiserv, representado pela presidente, Silvana Piroli  e o diretor de relações com o trabalho, Diames Rogério de Souza e o titular da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social (SMSPPS), Hernest Larrat dos Santos. No encontro realizado na manhã desta quinta-feira (1/10), foram apresentados os principais anseios debatidos na reunião do Conselho da Guarda, ocorrida na terça-feira (29/09).

Perseguições

Em 2019, quando os servidores da Guarda Municipal acompanhados pelos diretores do Sindiserv foram até o centro administrativo com o objetivo de entregar uma carta de reivindicações. Além de não recebê-los a administração Guerra instaurou processos contra os trabalhadores. “A abertura de sindicâncias para aqueles casos configuram ato político e não tem fundamento mantê-las. O secretário entendeu nosso pedido e garantiu que dará um encaminhamento adequado ao assunto”, defendeu Diames.

Cursos presenciais exigidos pela PF

A retomada dos cursos presenciais exigidos pela Polícia Federal foi outro assunto de destaque. “A nossa preocupação é para que sejam tomadas todas as medidas de segurança para preservar a saúde dos servidores”, apontou Silvana. Por sua vez, o secretário garantiu que todas as normas de assepsia e distanciamento estão sendo observadas.

Regramento para ingresso no ROMU

A ampliação do Grupamento de Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) parece ser um caminho sem volta. Atualmente 12 servidores atuam nesta situação, porém a expectativa é que o serviço seja ampliado para suprir demandas da segurança. Em razão disso, foi solicitado que sejam observados requisitos específicos para o acesso. Para esta pauta, Larrat também garantiu fazer as revisões necessárias.

X