Sem conciliação, Sindiserv mantém postura contrária à terceirização da saúde

Em audiência realizada na tarde da última quarta-feira (12), Sindiserv defendeu a municipalização dos serviços das UPAS

A tentativa de conciliação por parte da Administração Municipal sobre o processo que envolve a terceirização da UPA Central, em audiência na tarde da última quarta-feira (12), não aconteceu. O Sindiserv manteve firmeza em defender a municipalização do serviço, apesar da defesa solicitar a retirada da ação, alegando que os contratos estão firmados e precisam contemplar os prazos. “O contrato com a UPA Zona Norte, por exemplo, já está se encerrando. É possível começar a assumir o serviço neste local”, rebate, Silvana Piroli, presidente do Sindiserv que acompanhou a audiência com a advogada Cláudia Correa e a diretora de saúde, Karina Santos. Na defesa do município estavam o procurador e o servidor João Dorlan da Silva.

“Não vamos retirar a ação contra as terceirizações. Todos sabemos que terceirizar precariza o trabalho, a gestão da saúde fica prejudicada e a população sofre. Existem servidores com excelente capacitação para atender urgência e emergência com possibilidade para atuar nas UPA’s  e hoje estão sendo subutilizados nas UBS’s”, reforça Silvana.

 

 

 

 

Conforme a presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, o   O processo prossegue com o trâmite normal. .Reafirmou a proposta já encaminhada sobre a municipalização da UPA zona norte. Como não houve acordo o processo segue o trâmite normal.

X