22 anos de Guarda Municipal: o futuro da segurança de Caxias

No último domingo (08/12) a Guarda Municipal de Caxias do Sul completou 22 anos de existência. As festividades pela passagem da data foram realizadas no ginásio do Enxutão com jogos e confraternização. Desde 1997, a instituição vem se desenvolvendo, assumindo novos  desafios sem, no entanto, deixar de lado a proximidade com a comunidade. A presidente do Sindiserv, Silvana Piroli e o diretor de Relações com o Trabalho do  Sindiserv, Diames Rogério de Souza e Silva participaram das festividades em torno do aniversário e salientaram a importância do serviço, que tornou-se referência em segurança pública.

Conforme o servidor Cristiano de Castro Soares, 41 anos, há 15 na corporação muitas coisas foram aprimoradas e outras necessitam ainda de reconhecimento de gestão sobre papel da segurança pública. “No começo tudo era muito diferente. Aos poucos, conforme a necessidade da população, nosso trabalho foi sendo ampliado. Passamos a estar presente nas escolas, prestar apoio às secretarias, Conselho Tutelar, entre outros. A própria população passou a nos enxergar de forma diferenciada pelo papel social que a GM exerce nas comunidades. Nos bairros, as crianças são as primeiras a buscar uma aproximação com a Guarda, isso é reflexo da confiabilidade do nosso trabalho”, observa.

Ainda muito precisa ser feito, a iniciar pela regulamentação da Lei Federal 13.022 pelo município, que irá conferir respaldo jurídico para as ações que a GM já realiza. Este ponto de reconhecimento por parte do Executivo é fundamental para que o potencial da Guarda seja percebido na sociedade.

Servidor há quatro anos, Diego Gonçalves de Melo, 40 anos, destaca o crescimento da instituição tanto em âmbito Federal quanto Municipal, mas salienta que existe a necessidade de dar visibilidade ao trabalho dos servidores. “Enquanto outras instituições de segurança apostam no marketing das ações, nós continuamos a fazer nosso trabalho de forma recatada, sem alardes”, afirma.

Para o futuro, Gonçalves projeta uma Guarda Municipal cada vez mais ampla e responsável pela segurança pública do município. “Creio que apenas ocorrências de grandes vultos deverão ser assumidas por outras corporações. Hoje, a GM tem um papel de educar e estar presente nas comunidades, pois não existe rotatividade e nós conhecemos as necessidades das regiões em que atuamos”, defende.

Capacitação é um dos diferenciais da GM

Entre os aspectos que merecem destaque está a busca constante pela capacitação por vontade própria dos servidores, e que realizam muitos cursos, custeados com recursos próprios, além dos obrigatórios da função. Um dos exemplos é o guarda civil municipal Vilmar Volek, que realizou em novembro um treinamento imersivo de elite, com 400h, denominado:  Patrulhamento Tático Motorizado (PATAMO).

Participaram alunos de 20 cidades, de 8 Estados da federação, tendo a edição contado com mais de 200 inscritos, destes, apenas 86 foram selecionados, destes 48 concluíram o curso. Os formados são comumente denominado “Raios”, estando aptos a atuarem nas ROMU’s (Ronda Ostensiva Municipal) sendo estas ‘unidades de elite’ das GCMs, especializadas em patrulhamento tático. “A capacitação teve como ênfase desenvolver e aplicar procedimentos para prestar suporte técnico as demais equipes diante de ocorrências com elevado grau de periculosidade, realizar o patrulhamento tático em áreas conflagradas, com maior incidência criminal e intervenções diretas em ocorrências de alto risco”, destaca Volek.

(fotos – Simone Cruz/Divulgação)

 

 

X