Conheça a trajetória da Campanha Salarial 2019

Em três meses de Campanha Salarial, o Sindiserv foi recebido apenas duas vezes pelo Executivo para  discutir as pautas de reivindicação da categoria. O caminho trilhado até aqui mostra a dificuldade de diálogo e falta de interesse em tornar os espaços de trabalho melhores tanto para servidores quanto para a população. Veja o trajeto percorrido:

19 de março – Em assembleia geral, servidores apontaram 26 itens que compõem a pauta de reivindicações. Uma comissão formada por 14 representantes é definida para acompanhar as ações da Campanha salarial.

26 de março – A Comissão entrega a pauta de reivindicações na Secretaria de Recursos Humanos e Logística (SRHL), onde são recebidos pela titular da pasta, Vangelisa Lorandi. A promessa é que os pontos sejam discutidos com as presenças dos secretários envolvidos nas reivindicações.

15 de abril – Acontece a primeira rodada de negociações com a secretária de Recursos Humanos, Vangeliza Lorandi e o presidente do IPAM, André Wiethaus. As respostas evasivas emitidas pelo Executivo sobre as pautas de reivindicações e, principalmente sobre as distorções geradas pela Lei 409/2014 e suas equivalentes, geram descontentamentos entre os servidores.

Sindiserv reitera a necessidade de reunião para tratar das reivindicações nas áreas da saúde  e segurança. A reunião com o titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Júlio César Freitas, que deveria acontecer no dia 22/04 foi cancelada pelo secretário.

22 de abril – A reunião acontece sem a presença do secretário da saúde, com a presença da titular da SRHL, Vangelisa Lorandi, a secretária da Fazenda, Magda Wormann e representantes da Procuradoria-Geral do Município (PGM). Nesta data foram debatidas as reservas necessárias para o pagamento das ações de 1/3 de férias e horas-extras.

02 de maio – Após reunião da Guarda Municipal e sucessivas trocas de secretários que comandam a pasta da segurança, servidores se deslocam até ao Centro Administrativo na esperança de entregar as reivindicações da GM em mãos ao Prefeito. O grupo de mais de 80 guardas não é recebido.

Entre 03 e 10 de maio – Sindiserv e representantes da Guarda Municipal dirigem-se diariamente ao Centro Administrativo e formalizam solicitações de audiência que nunca foram atendidas.

13 de maio – Em Assembleia geral da categoria, a decisão é pela manutenção da luta pelos direitos, em especial, a recomposição salarial de 3%, aumento das licenças-prêmio compensadas, a resolução das distorções causadas pela Lei 409/2014 e melhores condições de trabalho.

15 de maio – Sindiserv protocola ofícios 084/2019, 096/2019 e 094/2019, nos quais novamente justifica a viabilidade das propostas dos itens da Campanha Salarial. O conteúdo foi aprovado em assembleia.

30 de maio – Sindiserv protocola ofícios (102/2019 – 2014/2019 e 103/2019) solicitando reunião com o titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Júlio César Freitas da Rosa, com a Secretária de Recursos Humanos e Logística (SRHL), Vangeliza Lorandi e o prefeito Municipal, Daniel Guerra.

16 de junho – Novamente a entidade busca diálogo por meio do ofício 117/2019 e recebe como resposta que a administração “entende” a Campanha Salarial como “encerrada”.

PRINCIPAIS METAS:

  • Recuperação salarial de 3%, reuniões quinzenais para resolução das distorções da Lei 409/2012 e suas equivalentes.
  • Insalubridade para dentistas, aumento de concessões de licenças-prêmio compensadas, melhores condições de trabalho, dimensionamento de servidores.
  • Pagamento de incentivo e insalubridade de 40% para os agentes de saúde.
  • Oportunidade de adesão ao IPAM pelos agentes comunitários e de endemias. Segurança jurídica para a Guarda Municipal por meio da Lei 13.022/14, além de fazer cumprir as promessas de campanha.
  • Devolução da primeira Sede do Sindiserv, considerando que é um patrimônio construído pelos servidores, e manter a utilização para atividades de saúde e bem-estar.
X