Crescem as manifestações contrárias as precarizações dos serviços

O Sindiserv esteve presente no protesto mobilizado pelos educadores infantis, na manhã desta segunda-feira (27.11), em frente ao Centro Administrativo Muncipal. Os profissionais declararam greve em razão da medida que prevê redução de 40% dos salários e retirada de benefícios. A diretora de saúde do Sindiserv, Fernanda Borkhardt, utilizou o microfone em apoio aos professores. “Nós estamos juntos nessa luta que não é da educação, ou saúde e sim contra a precarização dos serviços. Queremos que as promessas de valorização sejam cumpridas”, declara.

Para a pedagoga, pós graduada em psicopedagogia clínica e institucional, Deise Kaufmann, 29 anos, a retirada de salário e benefícios implicará no seu afastamento permanente da área de educação infantil no município. “Acho uma vergonha não ter concurso público para a educação infantil em Caxias do Sul, assim, ficamos reféns de um modelo que maltrata os profissionais”, explica.

Para a educadora, Natali Menezes, 23 anos, o corte significará a incerteza de poder concluir o curso de pedagogia. “Hoje, o valor da mensalidade gira em torno de R$ 800,00, somado ao valor do aluguel, R$ 500,00, representam a totalidade valor que pretede ser pago. Como vou fazer para pagar alimento, vestuário, transporte?”, questiona.

Atuante na escola de educação infantil Nosso Amiguinho, a pedagoda,  Daiane Pedroso e Silva, 34 anos, explica que haverá comprometimento do orçamento familiar a ponto de não saber se poderá continuar a manter o filho de seis anos no centro educativo que frequenta.

 

X