Sindiserv considera terceirização da saúde uma falha com a população e o servidor

O Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv) considera a seleção do Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde (InSaúde) para administrar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central, o antigo Postão 24h, uma falha com a população e também um ato de desvalorização dos servidores concursados e capacitados para o atendimento de urgência e emergência.

A presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, alerta que com isso todo o serviço de urgência e emergência (UPA Zona Norte e Central) passará a ser gerenciado por empresas privadas e, que deste modo, não há controle  e transparência nas ações. “A Lei preconiza a contratação de empresas privadas apenas de forma complementar, quando não houver a disponibilidade de profissionais, o que não é o caso. Existem servidores aprovados em concurso aguardando serem chamados”, critica.

Outro ponto observado é a contratação de empresa terceirizada sem a aprovação do Conselho Municipal de Saúde (CMS), órgão deliberativo na formulação e execução da política municipal de saúde. Inclusive no que diz respeito aos aspectos econômicos e financeiros, nas estratégias e na promoção e controle social. “Estamos vivendo tempos difíceis em que o dinheiro público é entregue à iniciativa privada que lucrará ao economizar com o atendimento a população”, salienta.

 

X