Futuro da Farmácia do IPAM entra em discussão

O futuro de uma das maiores aliadas no tratamento de saúde dos servidores, a farmácia do IPAM, entrará em discussão nesta quinta-feira, dia 01 de março, em sessão na Câmara Municipal de Vereadores. No dia 06 de março, o projeto de Lei 238/17, encaminhado pelo Executivo propondo a venda da farmácia será votado.

O assunto já serviu de debate entre servidores de diversas formas, por meio de assembleia, reunião dos conselhos, visitas ao Ministério Público, enquete no site da entidade, moção de repúdio e distribuição de materiais explicativos sobre a tentativa de precarização da instituição para justificar a venda.

A presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, salienta que foi criada em janeiro uma Comissão Pró-Farmácia do IPAM, composta pelo Sindiserv, Sindicomerciários e funcionários da Farmácia, responsável por contrapor os argumentos apresentados pelo Executivo. “O prefeito, Daniel Guerra, garantiu no início de 2017, que a farmácia não seria vendida. Na ocasião, foram acordadas inclusive melhorias que projetariam financeiramente a instituição. Porém, fomos surpreendidos no final do ano com este projeto. A farmácia é uma conquista dos servidores, que acaba beneficiando toda a população. Como não objetiva lucro, ela acaba se tornando um balizador de preços no mercado, além de ser referência em medicação especial e atendimento especializado”, observa.

Em assembleia, os servidores, responsáveis pela sua sustentação através de contribuição mensal, lembraram que a farmácia cumpre um papel importante entre os trabalhadores municipais acometidos pelas doenças previstas no artigo 19 da Lei Orgânica Municipal, obtendo cobertura irrestrita através da distribuição gratuita de medicamentos especiais. Uma enquete realizada entre por meio do site do Sindiserv, aponta que 90% dos usuários são contrários à venda.

X