Órgãos de pesquisa e estatísticas apontam viabilidade de aumento salarial

“Vamos retomar as negociações com a Prefeitura sobre a necessidade de aumento real”, com este discurso a presidente do Sindiserv, Silvana Pioroli, acenou para a próxima rodada de negociações salariais, amparada em dados e estatísticas que comprovam a possibilidade de reajuste.

O Sindiserv mantém convênios com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (DIEESE), instituição que tem por objetivo assessorar as direções sindicais nas negociações coletivas e com o Instituto de Planejamento e Assessoria (IPLAN). As entidades acordam que existem reservas oriundas da Prefeitura, necessárias para garantir a reposição salarial dos servidores.

De acordo com o diretor do IPLAN, Cândido Teles da Roza, os dados do período indicam um avanço na receita municipal, apesar o período de retração econômica. Essa afirmação pode ser verificada nos dados financeiros do segundo quadrimestre de 2017, publicados pela Prefeitura. Uma análise comparativa – elaborada a partir dos dados de igual período do ano anterior – verifica-se um desempenho favorável tanto da receita, como também no nível de comprometimento desta receita com as despesas de pessoal (próprio e terceirizado). “A partir dos critérios estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal verifica-se que a Receita Corrente Líquida do Município apresenta um crescimento nominal de 5,2% no segundo quadrimestre de 2017, quando comparado com igual período do ano anterior. O desempenho é superior à inflação acumulada no período de 0,64% (apurada pelo método e índices da Trimestralidade)”, explica Roza.

O especialista explica que o bom desempenho geral das contas foi capaz de absorver o impacto negativo da redução nominal dos repasses do ICMS que registram recuo no período. ”A segunda boa notícia está no nível de comprometimento da receita com os gastos de pessoal que permanecerem estáveis em 44,8% (mesmo índice tanto no 2º quadrimestre de 2016 quando em 2017). A informação permite concluir que de cada R$ 10,00 arrecadados pelo município, apenas R$ 4,48 foram aplicados na folha de pagamento dos servidores estáveis e do pessoal terceirizado no período analisado”, salienta.

X