NOTA: Sindiserv é contrário à proposta de terceirização

A Saúde, assim como os demais serviços de Educação, Assistência, Segurança e Infraestrutura realizados pelo Município configuram suas maiores obras. Terceirizar seria dar aval para a precarização do trabalho que é realizado hoje com qualidade pelos servidores e servidoras. As verbas para a saúde são oriundas também do Estado e União e devem ser administradas com zelo e participação pública, cabendo ao Município articular a cobrança desses recursos.

Com esta transferência de responsabilidade, a população perde o controle sobre os serviços e o monitoramento dos investimentos. Nos preocupamos com a falta de transparência das ações e dinheiro público aplicado, uma vez que a administração pela iniciativa privada não garante um aumento de qualidade, mas sim, apresenta riscos de precarização das atividades. Hoje, a rede conta com profissionais concursados e qualificados permanente para as funções que desempenham.

Os reflexos das terceirizações poderão ser percebidos futuramente no Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor (FAPS), que tem como pilar de sustentação um fundo de coparticipação. Menos servidores públicos participando do sistema significa mais dificuldades do Município em manter este sistema e o pagamento das aposentadorias.

O Sindiserv solicitou uma audiência com o prefeito Daniel Guerra para o início da próxima semana na defesa dos servidores públicos e para que a população tenha um serviço público de qualidade que merece.

Clique aqui para acessar o abaixo assinado contra as terceirizações. Nenhum direito a menos!

Relacionados:

X